Celebs | Rapper soul.za une hip hop, metal e reggaeton em novo disco
Topo
Por Julia Ourique / Publicado domingo, 19 set 2021 22:58

Rapper soul.za une hip hop, metal e reggaeton em novo disco

americanas.com.br
Novo trabalho é o mais expansivo na carreira do artista

O Hip Hop se encontra com o Metal, a MPB, o Jazz, o Reggaeton e o House no álbum “O Mal de Lennon”, do rapper soul.za. Gestado durante cinco anos, o trabalho conta a história da juventude do artista, indo dos 17 aos 23 anos. O disco foi antecipado pelos singles “Querubim” e “Forró (Udjabimin)”, e reforçam a ideia de sonoridade expansiva que o músico buscou. O álbum conta com 10 faixas produzidas e lançadas de forma independente, e já se encontram disponíveis nos streamings.

O nome peculiar do trabalho vem da relação do artista com o processo de dormir e remete a relação que John Lennon tinha com sua cama. 

 “A noite, o sono, o sonho, o quarto, a cama, a insônia, o turbilhão de ideias antes de dormir. Ele tem esse título pela relação que John Lennon tinha com sua cama – o dormir demais, as múltiplas traições que este realizou nesta, etc. É o medo de pegar “o mal de Lennon” na busca pelo reconhecimento. Desde antes de lançar meu primeiro projeto, em 2017, já tinha começado a produção deste disco, mas ele sempre acabava em segundo plano para trabalhos mais imediatos, curtos e com conceitos mais simples por trás.”, explica soul.za.

Para o lançamento de “O Mal de Lennon”, o artista se inspirou na obra de Parteum, Black Alien, Xis e dos gringos J Dilla, Danny Brown, Kendrick Lamar, Slick Rick e Kanye West.  Suas influências musicais também abrangem outros gêneros fora do Hip Hop, como Milton Nascimento, Prince, Michael Jackson, Edu Lobo, Djavan, João Bosco; e ainda, bandas de metal como Liturgy, Death e Megadeth, e em grupos como Depeche Mode, Tears for Fears.

Em contato com a música desde os 11 anos, quando aprendeu a tocar baixo elétrico, soul.za compõe incessantemente e com o tempo aprendeu a tocar também violão e piano. Já aos 14 anos ele começou a produzir músicas no computador e atualmente estuda Música Popular na Unicamp e dá aula como professor de música em uma escola, além de tocar baixo em algumas bandas conhecidas da noite de Campinas (SP).

Atuando como produtor de seu próprio projeto solo, soul.za traz em sua discografia o EP “Sortilégio” (2017) e os álbuns “Aquilo Que Eu Não Queria Jogar Fora” (2017) e “MUNDOLINDO BARÃOGERALDO” (2018). Já sob o pseudônimo BOYcheroso, em que cria trabalhos instrumentais, lançou as beat tapes “Frutas Cristalizadas” (2017) e “BÍTIS DuBOY” (2021). Já colaborou com a cantora Lori, no single/clipe Introestelar (2020); e também com a dupla O Racún, no single/clipe “Pajarito” (2021). Como produtor ele também conta com trabalhos com a dupla “TV & LP”, o rapper Lukão MC e co-produziu o single “Fool Moon”, do cantor Drezin.

As canções do álbum “O Mal de Lennon” contam com composição, instrumentos, produção e mixagem do próprio soul.za, em seu home studio. A masterização foi realizada por Gabriel Nascimento, da Gemini Sounds (Guarujá/SP). As guitarras adicionais na faixa “Forró” são de Lucas Carrasco. A capa do álbum é da fotógrafa e maquiadora Laura Piza, com ilustração da artista Laura Nihao.

Ouça o álbum “O Mal de Lennon”: https://distrokid.com/hyperfollow/soulza/o-mal-de-lennon

 

Siga soul.za

 

Instagram: https://www.instagram.com/soulzamandril/

Twitter: https://twitter.com/emanulaba

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCJb7SmNl0Ug3HSGCqG4ftjg

 


É permitida a reprodução desde que de forma individual (não de todas as matérias), citado o autor, a fonte (Site Celebs.com.br) e créditos de fotos.


Oakley BR