Celebs | Rock e música caipira: Judas retrata caos contemporâneo em novo álbum “Os Desencantos”
Topo
Por Pablo V. / Publicado sexta-feira, 10 jul 2020 18:52

Rock e música caipira: Judas retrata caos contemporâneo em novo álbum “Os Desencantos”

americanas.com.br
Grupo é liderado por Adalberto Rabelo Filho, compositor de Jards Macalé, Wado, Maria Alcina e Vespas Mandarinas

A banda brasiliense Judas divulga o álbum Os Desencantos nesta sexta-feira (10). A obra trata-se de um retrato melancólico da contemporaneidade, mixando referências de rock com nuances da música caipira. O grupo é liderado por Adalberto Rabelo Filho – compositor de nomes como Jards Macalé, Wado, Maria Alcina e Vespas Mandarinas.

 

Escute Os Desencantos via Spotify, Deezer ou iTunes

 

O álbum traz a faixa inédita Cisne Negro e compila os EP’s Casa de Tolerância No.1 (2016), Enfermaria Número 6 (2018) e Matadouro Número 5 (2019). São 10 músicas ao todo, sendo todas gravadas no estúdio Sala Fumarte, em Brasília (DF). As sessões ocorreram entre 2016 e 2019. Na produção, a banda contou com suporte de Breno Brites – que também assinou  a mixagem e a masterização do disco.

 

Adalberto Rabelo Filho, que é vocalista do grupo, explica que o título provém de um trocadilho.

“O nosso disco conta com 10 cantos tristes e desiludidos com o estado atual das coisas e do mundo. Daí o trocadilho: os cantos se transformam em desencantos, cujo significado descrito no dicionário é relacionado a uma pessoa que sofreu alguma decepção”.

 

O cantor ainda ressalta que a obra foi inspirada no termo ‘spell’ -que em inglês pode significar ‘encanto’ ou ‘soletrar’. Para ele, “isso mostra que a magia acontece  à medida em que o homem nomeia as coisas, tirando-as do real e finito e levando-as ao abstrato e eterno. Elas deixam de serem meros objetos para passarem a existência como conceito. Uma palavra passa a ter o poder então de mudar o mundo. E isso é muito representativo para nós”

Além de Adalberto, a banda é formada por Carlos Beleza (guitarra), Hélio Miranda (bateria), Bruno Prieto (baixo) e Pedro Vaz (viola caipira). O grupo existe desde de 2009 e ainda possuí o álbum Nonada (2014) no catálogo. Desta forma, a Judas tem construído sua sonoridade influenciando-se principalmente em artistas como Bob Dylan, Sérgio Sampaio, Childish Gambino e Thundercat. 

Setlist

  1. Casa de Tolerância nº1 

  2. Oroboro 

  3. Cada Cidade, Um Porto 

  4. Os Novos Malditos 

  5. Matadouro nº5 

  6. Enfermaria nº6 

  7. Rio das Almas 

  8. Um Moi de Vento

  9. Ambissinistra 

  10. Cisne Negro 

 

Participações especiais: 

  • Pedro Souto (baixo) e BC Araújo (guitarra) em Casa de Tolerância nº1, Oroboro e Cada Cidade, Um Porto // 

 

  • Maria Sabina, Stievenson Canavarro (Almirante Shiva), Tarso Jones (Joe Silhueta), Gaivota Naves (Joe Silhueta), Litieh, Emília Monteiro, Júlia Carvalho (Talo de Mamona), Thuyan Santiago (Toro), Pedro Lacerda (Galopardo) e Estephanie Cavalcante em coro de Os Novos Malditos

 

  • Maria Sabina e Guilherme Cobelo em backing vocal de Cada Cidade, Um Porto.

 

Ficha Técnica

Selo: Aardvark

Mixagem e masterização por Breno Brites

Gravado entre 2016 e 2019  na Sala Fumarte, em Brasília (DF)

Judas é: Adalberto Rabelo Filho (voz) Carlos Beleza (guitarra), Hélio Miranda (bateria), Bruno Prieto (baixo) e Pedro Vaz (viola caipira)

Composições: Oroboro, Cada Cidade, Os Novos Malditos, Um Porto, Enfermaria Nº6, Rio das Almas e Um Moi de Vento por Adalberto Rabelo Filho; Casa de Tolerância Nº1 por Adalberto Rabelo Filho e Pedro Vaz; Ambissinistra (Uma Canção Para Leonard Cohen) por Adalberto Rabelo Filho, Breno Brites, Carlos Beleza e Guilherme Cobelo); Cisne Negro por Adalberto Rabelo Filho e Fábio Miranda; Matadouro Nº5 por Adalberto Rabelo Filho e Carlos Beleza


É permitida a reprodução desde que de forma individual (não de todas as matérias), citado o autor, a fonte (Site Celebs.com.br) e créditos de fotos.

Comentários

Oakley BR